Total de visualizações de página

sábado, 16 de agosto de 2014

Uma confusão

Depois de mais de um mês sem barulho, o tal som alto de música, hoje, a coisa chegou a um ponto, que perdi mesmo a estribeira.

Desde antes das 15 horas, o barulho começou a imperar num balcão, na rua onde moro.

E fui, com uma faca, a ameaçá-los. O , aparentemente, proprietário, do lado de uma mulher atraente, falou que até abaixaria o som, mas questionou o pq de eu chegar com uma faca, respondi que nada mais tinha a perder, que queria sossego e que com a criação do balcão, não temos , vizinhança , mais sossego.
Discutimos... ele falou, vc é muito corajoso... Eu disse, nada tenho a perder...

Indo embora, alguém falou, "ele mora ali", vc é muito corajoso". \Falei que sou... E o barulho continua... Impressionante, se eu tivesse telefone, chamaria a polícia, como chamei uma dez vezes, quando tinha o fone. E parece que ninguém  na vizinhança, embora já tenha dito incomodada, não chama os tiras.

Hoje, vai ser mais uma destas noites, a qual não consigo dormir.

Ainda corro risco da merda, ou merdas, fazerem algo contra mim. Ou até algo contra a residência, e de embalo os que moram no meu lote.

Mas, não tenho muito mesmo a perder. Vou tomar uma providência, caso eu sobreviver  a este triste dia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário