Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Three Friends(Três Amigos)2

Morei do segundo semestre de 1969 a 30.12.1973, num mesmo local, num pequeno prédio de três andares,com quatro apartamentos em cada andar.

Neste local, conheci dois sujeitos, que considerei amigos, o A e o G.  O primeiro morava a uns 30 metros de onde eu morava e o segundo residia no mesmo prédio em que eu vivia.

O prédio se localizava numa esquina.  Esquina que era um ponto de encontro de muitos conhecidos/vizinhos.

A, G e eu, três amigos, era assim que eu pensava que fosse.  Eu falava que éramos um Trio Maldito, mas , na verdade, éramos os Três Patetas, todos retardados, sendo que o A era o menos bobo do trio.

Mais sociável e , extremamente popular, animado, A se afastou de mim e do G, fazendo amizade com uma turma de um bairro vizinho.
Com isso, o trio virou duo, e essa foi uma época bem divertida.  Creio que nunca ri tanto na vida.  G e eu éramos dois palhaços... só vivíamos zoando...
Porém, a amizade terminou, sem termos tido uma discussão, por bem dizer, forte, devido às constantes brincadeiras.  Nunca mais conversamos um com o outro.

Meus pais se mudam,mais uma vez, para um bairro bem distante.
O Trio Maldito e o Duo Palhaço , nunca se ressuscitaram.

Perto do final da adolescência, eu era amigo de um colega de escola,  o G, sujeito calado e paradão, até mesmo frio.  Mas, quem não queria ter um amigo que mais escutava do que falava?  Assim era o G, que chegou a dar umas pisadas na bola, o que não foi motivo para terminar nossa amizade.  Nos afastamos um do outro, pelo fato do G ficar companheiro de uma (grande) turma.  Ele me convidou para participar da "patota", no entanto, nunca gostei de turmas.

E havia outro G, que conheci através do G, colega de sala. Temperamental, nervoso, de lua, não pagador das suas dívidas, G e eu nunca discutimos.  E acredito que nunca nos desentendemos, pelo fato de termos tido pouco contato. O G temperamental era bem mais amigo do G, ex-colega de sala. Eu diria que o G nervoso foi um semi-amigo(ou mesmo menos do que isso-rs).

... continua
Nota: Tenho que ir... ô desânimo de voltar para a fazenda... a mesma rotina chata, a e, agora, as coisas ficaram pior , por causa do meu desentendimento com o caseiro.
Se me der na telha e se eu não ficar muito atarefado, volto na sexta-feira, para terminar o post.

Three Friends(Três Amigos)1

Three Friends(Três Amigos) é o título do terceiro álbum do conjunto inglês Gentle Giant(Gigante Gentil).

O disco conta a história de três amigos dos tempos de escola.
Eles são separados, no futuro, pelo destino, pela habilidade...
Um se torna um capitalista bem sucedido; outro vira trabalhador braçal e o último abraça a profissão de pintor(não é pintor de parede, é um artista).

Pelo que entendi, nenhum dos três foram felizes, a não ser no tempo em que eram jovens, na escola.  "Three Friends" é um disco crítico, triste , amargo.

Na escola, na época do chamado "primário", anda na infância , eu tinha amigos, por incrível que pareça.

Estudei no colégio "Curso Chopin", desde o segundo semestre do segundo ano primário, até o primeiro semestre do primeiro ano ginasial.

A turma do primário foi, praticamente, a mesma.  Pode-se dizer que eu gostava de mais de 90% dos colegas, inclusive lembro ainda de alguns deles.  E foi no quarto ano primário, que mesmo não sabendo o que é sexo, como somos concebidos, me apaixonei pela primeira vez.  Vou revelar o nome verdadeiro dela: Talita, que era loura, cabelos longos, geralmente de franjinha...  magrinha e bonitinha. Nunca lhe revelei minha paixão.

Numa redação da matéria Português, cujo título era "Meu Melhor Amigo", por incrível que pareça, três colegas revelaram que eu era o melhor amigo deles: O R, o E e o M(fui o campeão da sala, neste quesito).
O R eu considerava meu melhor amigo.  Fiquei surpreso do M ter me escolhido... ele era alto, forte , truculento, mal humorado... era um dos colegas que eu menos gostava.
Não frequentei a casa dos três e nem eles a minha.

E o meu amigo R era racista:  "Atlético é time de preto!".

No primeiro ano ginasial, minha alegria e felicidade acabam para sempre na escola.
Mais de 70% dos colegas, que achavam fraco o ensino ginasial do Curso Chopin", migraram para outros colégios, incluindo a minha amada Talita(nunca mais a vi).
O chato e temperamental M continuou no colégio.

Eu já não tinha mais amigos na escola, me desentendi com alguns, chegando até a sair no braço com certos colegas.

" Uma vez três amigos
Doce em amargura
Agora parte do seu passado
No final
Cheios de alegrias
Espalhados de classe em classe"(Gentle Giant)

... continua...

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Panela de Pressão

Conversei com o primo, na última sexta-feira, a respeito do desentendimento que tive com o caseiro.  O primo ficou na dele.  Todos que convivem com ele estão achando-o calado, triste, pensativo, sério.  Ele falou que só mantém o caseiro na fazenda, pelo fato dele ser muito bom de serviço.  É vero que o caseiro lhe dá problemas, tendo o gênio irascível, entre outras coisas.
O primo pensa que é melhor eu voltar a conversar com o caseiro, o que não concordo(mas não descordei do primo, no momento de nossa conversa, que foi breve).

O caseiro ora me cumprimenta, ora não.  Preferiria até que não me cumprimentasse.
O odeio.  Ontem, na parte da tarde, quando aguava as plantas, me deparei com seu filho, o pirralho, que causou nosso desentendimento.  Ele não me cumprimentou...
Bem, ao vê-lo, o ódio apareceu...

Creio não haver condições alguma de eu continuar na fazenda, depois deste imbróglio.

Muita coisa poderia acontecer, como: o caseiro e eu só conversarmos casualmente, a respeito de coisas da fazenda; ele ou sua esposa falarem que sumi da casa deles, o que me daria espaço para me queixar da forma tão hostil em que fui tratado por ele; ele me pedir desculpas, o que não aceitaria, lembrando que sou rancoroso...

Quanto mais convivo com uma pessoa que pisou na bola comigo, mais a odeio!

Ficarei na minha, evitando contato com o jumento, nesta semana.
Mas, no final da semana, pretendo falar com o primo que não vou mais ficar na fazenda.

Tenho que deixar certos temores de lado, como o medo de me machucar, de ficar internado num hospital, de ter meu lar destruído com coisas tipo incêndio, de morar na rua ou num abrigo, de passar fome.

No tocante a fome e falta de moradia,sinto, pressinto que isto um dia vai mesmo acontecer.
O que houve foram  adiamentos: minha coleção de discos, vendida em 2014; minha ida para a fazenda do Casal 0 , em 2015; minha permanência na fazenda do primo, em 2016...

Eu repilo este mundo, no qual vivo.  Não concordo nem com  a concepção...  A última vez em que votei, nas eleições, foi em 2010(Não justifico minha ausência).

O amor morreu, a alegria desapareceu. O que é sorrir?
Ódio, tristeza e mau humor só aumentaram.
Acredito ter chegado a hora da panela de pressão explodir de vez!



terça-feira, 12 de setembro de 2017

Férias do Mundo(Incluindo "Sonho Júlia" e "Embrião"

Gostaria de chegar em casa e não me deparar com vizinhos ao redor.
O dia passaria, a noite chegaria, e eu tranquilo, com saúde, na paz,
sem ter e ver pessoas os meu redor.

Gostaria de ao ir pra cama, não ser incomodado por morcegos e insetos , os mais diversos, principalmente,  meu inimigo número 1, o pernilongo.
Gostaria de não ter mais sonhos bobos, chatos, tristes e trágicos.
Gostaria de sonhar com mulheres lindas, as quais eu abraçaria, beijaria...
Gostaria de sonhar com lugares bonitos, com um verde bem mais agradável  do que o do campo.  Outras cores, além do verde: azul, vermelho, roxo...
Gostaria de sonhar com discos, músicas...

Gostaria de ao me levantar, de manhã, não me deparar com pessoas, nem com animais nocivos.

Gostaria que os dias passassem e eu continuasse só, sem a presença de pessoas ao meu redor.
Gostaria de não ter mais tarefas executadas para outrem.

Gostaria de umas férias, férias do mundo, um descanso para os problemas, para as dores.
Férias permanentes seriam ideais?

Não me lembro mais como se sorri.  Hum, acho que é escrevendo na internet, "rs".

Por incrível que pareça, na fazenda anterior, cheguei a ter umas curtas férias do mundo: de segunda a sexta-feira sem ver seres humanos.  Melhor ainda foi passar umas pouquíssimas semanas sem ver pessoas,de segunda a segunda-feira.
E foi graças às pessoas, que minha deliciosa férias se acabou.

É, como dizem alguns, "não existe descanso para o mal".



Roger Waters, ex-Pink Floyd, um dia sonhou com uma tal de Júlia(suspeito que ele fez a letra para a sua primeira esposa, Jude, mas ela ficou constrangida por ser exposta ao público).
Meu último sonho foi com ela, a LL.
Roger Waters narrou as sensações de um embrião... feto, nascimento e, obviamente, a morte!

Sonho Julia

A luz do Sol ilumina meu travesseiro
Mais leve do que um edredom
Desejando que o salgueiro-chorão
Sopre seus ramos ao redor

Sonho Julia
Linda rainha
Rainha de todos os meus sonhos*

Todas as noites eu desligo a luz
Esperando pela noiva de veludo
Irá o escamoso tatu
Encontrar-me onde estou escondido?

Sonho Júlia
Linda rainha
Rainha de todos os meus sonhos

Irá o misterioso mestre me destruir?
Irá a chave destrancar a minha mente?
Irão as pegadas me alcançar?
Estou mesmo morrendo?

Sonho Julia
Linda rainha
Rainha de todos os meus sonhos.

Embrião

Tudo é amor, é tudo que eu sou
Uma bola é tudo que eu sou
Eu sou muito novo comparado a você
E eu sou muito pequeno

Brilho morno, a lua desabrocha
Sempre preciso de um pouco mais de espaço
Parece que há anos espero aqui
Nunca vi a luz do dia

Por todo lado escuto sons estranhos
Que vêm borbulhando em meu ouvido
A luz é vermelha, a noite é escura
Eu sinto meu amanhecer chegando

Brilho morno, a lua desabrocha
Sempre preciso de um pouco mais de espaço
Cochicho baixo, aqui vou eu
Irei ver o brilho do sol(Roger Waters)

Estas são as duas músicas mais bonitas, a meu ver, que Roger Waters compôs.
 E são cantadas pelo seu ex-colega do Pink Floyd, David Gilmour.
Como eu gostaria de ouvir as duas canções, na voz de Waters!

*  Antes mesmo de me apaixonar, eu já  falava com a Linda Linda, que ela era a Rainha dos Meus Sonhos.  Porém , o sonho acabou, virou pesadelo.








segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O Menino

O Menino

O menino não cresceu.  Ele envelheceu.
Seu sonho de amor morreu.

O menino ainda gosta de comer, beber; ainda gosta de mulher,
mas com o trabalho, nada quer.
Sim, o menino é um vagabundo, e detesta viver neste mundo.

Não é mais a mesma a sua libido, e ele odeia o cupido.

Música/rock é sua maior paixão... Uma obsessão? Ou seria uma sublimação?
O certo é que sem a música/rock, ele não consegue viver não.

O menino tem mágoa até de seus pais!
Ah, ele é revoltado demais!

Quanto mau humor, menino!
Você não consegue mesmo ficar sorrindo.

O menino não tem amor, não tem amigo;
pior ainda, não tem dinheiro. Cheio de rancor,
costuma, às vezes, ficar contrariado o dia inteiro.

O menino não tem sossego. Não consegue viver em paz.
Não gosta de emprego.  Não se conforma com os problemas
que a vida trás.

O menino não gosta de compromisso.
Ele não é submisso.

O menino não gosta de ser contrariado.
É comum estar sempre chateado.

A alegria o esqueceu, mas o menino ainda sonha
ouvir alguém dizer o mais rápido possível, que ele,
literalmente, morreu!(Roderick Verden)




Die leben und traurig

Fico contente pelo fato do caseiro não estar conversando comigo.

Na última sexta-feira, de manhã, sua esposa, para minha surpresa, me cumprimentou quando eu , como de costume, limpava o quintal da casa do primo.  Foi bom que ela me revelou que o primo não sairia de Contagem-local onde mora-neste último final de semana.
Foi legal , porque aí não fiquei na espera dele(perdendo tempo) até o domingo.

Contudo, achei muito estranho a sua ausência.  Durante o tempo em que moro na fazenda, que eu me lembre, só num final de semana que ele se ausentou do lugar.
O primo não é de viajar...

Ao conversar com sua irmã, revelando minha discussão com o caseiro, ela afirmou estar preocupada com o primo, que anda mais sério, calado, pensativo(eu o caseiro já havíamos percebido isto), de uns tempos pra cá.  E ela também observou que ele anda com tremura.
O aconselhou a ir ao médico... ele recusou.
Temos ciência que nossa família, pelo lado paterno, tem histórico de Mal de Parkinson e Mal de Alzheimer...

Devido sua ausência, tenho ficado no suspense.  Certamente, sua irmã deve ter lhe contado sobre a briga que tive com o caseiro.  Será que ele, desiludido com as confusões na fazenda, até desanimou de passar este último final de semana lá? Será que ele está com algum problema mais sério?

Este foi o primeiro problema que lhe causei, em um ano que resido na fazenda.
Não se pode esquecer que o caseiro, mesmo trabalhando em excesso, sendo bom de serviço, já deu algumas dores de cabeça para o primo... ele e sua família.
E, segundo sua mulher, o primo avisou que não apareceria na fazenda foi para o J.B., não para o caseiro.  Será que ele está de saco cheio do  caseiro?  Será que se arrepende de ter me acolhido na fazenda?

No domingo, final de tarde, quando eu aguava as plantas, me deparei com a mulher do caseiro e a sua filhinha.  Sua filha me olhou...  A mulher do galo garnisé , desta vez, não me cumprimentou.
Acredito que ela tomou as dores do marido.  Pode ser até mesmo que o jumento tenha feito pressão para ela, bem a seu estilo:  EU NÃO QUERO QUE VOCE CONVERSE COM ELE!".

Mesmo com este problema sério, que me  deixa, mais uma vez, perto de ficar sem moradia e passar fome, ainda tenho apetite, e mesmo apetite sexual.  Ontem, à noite, me masturbei pensando transar com a atriz Christiane Torloni.  Ela é uma das mulheres que mais  aguçou minha imaginação masturbativa(existe tal palavra?rs).  Há muito que eu não masturbava pensando nela.
Foi muito bom!
Ainda assim, tal fato não alivia o estrago da vida.
É triste, mas duvido haver panaceia que possa  curar minhas dores.

Ah, você não entendeu o título do post?  Vá no google e traduza, preguiçoso(a)rs!
É uma frase alemã.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

É fácil?

Ontem, quando eu rastelava folhas, o caseiro com sua mulher apareceram , num trator.  Sua esposa me cumprimentou; lhe retribuí, mas ele não se manifestou, o que gostei.

Minha intenção, hoje, era só ir até a biblioteca, onde estou no momento, mas, consegui uma carona, na estrada, e chegando mais cedo na cidade, achei melhor ir de encontro a minha prima, para lhe contar sobre a briga que tive com o caseiro.  Pedi que ela deixasse um recado para o seu irmão, para que o mesmo passasse na casa onde moro, antes de ter contato com o seu empregado.

Aparentemente, ela me foi solidária.  Lhe revelei até o quanto sou rancoroso.
A prima insistiu para que eu ignorasse, caso seja provocado... lhe respondi que tal coisa é muito difícil...

Mesmo falando a ela que o ideal seria que o caseiro e eu não conversássemos mais, que mesmo se depararmos um com o outro, não nos cumprimentássemos, creio que  isto é quase impossível.  Não suporto mesmo a presença do caseiro, e duvido que ele e sua família ficariam passivos, me ignorando.

Praticamente, falei à prima tudo que tenho revelado aqui, no blog, tudo que tenho sentido.
Não,  não, sou bem mais irado, muito mais rancoroso do que revelei.

Há anos, que quando penso de como pode ser minha morte, entre a causa dela, acho possível ser assassinado, devido minha ira, devido as provocações as quais sou vítima.
E, quem sabe, o caseiro é quem vai me assassinar?
Sinceramente, repito, não temo a morte, que é bem vinda. Se eu levar tiro(s) e morrer na hora, tudo bem.  O grande problema é ficar ferido, machucado, internado num hospital, ter sequelas, havendo ainda o risco de ter meu lar destruído, incendiado, por exemplo.

Ô mulherzinha difícil de conquistar, esta tal de paz!
Ô amigo , que tanto me repele, este tal de sossego!

E o Dave Brock, do conjunto Hawkwind disse, nos anos 70 que é tão fácil.
Será que ele ainda pensa da mesma maneira?

É Tão Fácil

Tente compreender, ainda assim, é muito difícil de ver.
A razão é que vivemos não muito tempo para sobreviver.
A revolução está chegando; o caos breve terminará.
Nós alcançamos a idade da aprendizagem.
Você verá no final.

É tão fácil, tão fácil, tão fácil...

Para dizer o que você disser.
Para querer o que você quiser.
Eles dizem que este mundo é tão
conturbado , em todo lugar que você for;
em todo lugar que você for...(Dave Brock)

Não ligo mais se sou forte ou fraco, mas o cansaço é enorme!
O estrago da vida, tão bem retratado pelo mesmo Dave Brock, está em todo lugar em
que eu vou, em todo lugar.
2013,2014,2015,2016 e 2017, uma sequência de péssimos anos!
A paz e o sossego nada querem comigo! Uma pena! Torcer para eu não ter um surto!
Não é nada fácil!!!!!!!!!!!